06/05/2016 12h01 - Atualizado em 25/01/2017 12h52

Informações sobre Melasma

As mulheres com melasma pioram muito no verão e frequentemente ouvimos a frase: “Eu não tomei sol e o melasma piorou”.

O melasma é "traiçoeiro" e piora mesmo na sombra, pois está sujeito a vários estímulos como: sol, calor, estresse, remédios e irritações locais. O exato mecanismo que favorece o aparecimento desta mancha não está totalmente esclarecido.

A grande vilã, responsável pelo escurecimento da pele, é uma célula bastante sofisticada e complexa, chamada melanócito. Esta célula tem origem no sistema nervoso central e durante o período fetal, migra até a pele onde se localiza numa camada intermediária entre a epiderme e a derme. Essa célula parece um polvo e possui vários receptores, que recebem estímulos de todas as fontes do organismo. Por esse motivo, o estresse pode piorar a mancha, uma vez que provoca o aumento do cortisol, que é um hormônio que favorece o estimulo de produção de melanina.

A melanina é uma proteína que se espalha na superfície da nossa pele, contribuindo para nossa cor e funcionando como uma proteção às agressões externas, como por exemplo, a radiação ultravioleta. Sendo um mecanismo protetor, a produção de melanina é aumentada por agressões como queimadura solar, peelings, depilação com cera, ácidos, entre outros. Por esse motivo, é importante que o tratamento para o melasma não irrite a pele, pois, caso isso ocorra, haverá mais produção de pigmento e a mancha ficará mais escura.

A pele mais propensa a ter melasma é a pele morena e a miscigenada, pois nestas peles o melanócito é mais competente e ativo. Considerando as características dessa célula de origem nervosa e muito reativa aos mais variados estímulos, aí vão alguns conselhos sobre o tratamento dessa mancha que mexe tanto com a autoestima das pessoas comprometidas:

  • Proteger a pele com filtro solar, de preferência físico, com numeração alta e com cor.
  • O filtro físico reflete a luz e a cor bloqueia a luz visível (computador, luz das casas, etc..).
  • O filtro deve ser repetido várias vezes ao dia, principalmente se houver trabalho ao ar livre.
  • O tratamento com cremes para melasma deve ser prescrito pelo dermatologista e não deve irritar, arder ou descamar a pele.
  • Tratamentos como depilação da face ou esfoliações devem ter a aprovação do seu médico.
  • O tratamento complementar com laser deve ser específico e pouco agressivo. -Lembrar que o tratamento é médico, mas a pele é sua, portanto você deve entender tudo o que está acontecendo com ela.
  • Durante o tratamento com laser, é necessário proteger a pele e evitar agressões externas.
  • Lembre-se que a melhoria do melasma tem a ver com o todo, o que significa estar saudável, alimentar-se bem e diminuir o estresse.
  • Substâncias como o polypodium leucotomas e ácido tranexâmico podem ser ingeridas e ajudam a proteger a pele. Ultimamente, essas substâncias são muito estudadas e demonstram cientificamente, que podem ajudar no controle do melasma. No entanto, elas devem ser prescritas pelo médico dermatologista que conhece o mecanismo desses medicamentos e pode indicar doses corretas e também evitá-las em caso de contraindicações especificas.

O melasma não deve e não pode atrapalhar sua vida.

 

Orientações sobre Melasma

O que é melasma? São manchas acastanhadas adquirida na pele caracterizadas por aumento da atividade de melanócitos (células que dão cor a pele) na epiderme, acometendo algumas áreas da face ou toda face, mais comum em região malar e frontal, podendo atingir outras áreas do corpo, como braços e colo, é o melasma extrafacial.

Melasma é genético: há a participação genética (ocorrência familiar em 56,3% dos casos). Ainda não houve identificação de genes específicos ligados ao melasma, mas a prevalência é maior nos hispânicos e asiáticos. Pode ter relação com hormônio feminino: a participação do estrógeno e progesterona na etiologia destas manchas tem fortes indícios pela relação tanto com a gravidez como com o uso de anticoncepcionais (mas isso não ocorre com todas as mulheres). Dosagens séricas destes hormônios em mulheres com melasma são normais e idênticas aquelas do grupo controle. E mesmo suspendendo o anticoncepcional não haverá melhora do melasma. Alguns trabalhos sugerem a relação do aparecimento do melasma com doenças da tireóide especialmente aquelas auto-imunes. 

É uma doença crônica, mas pode haver remissão espontânea em 8% dos casos. E 90% dos casos ocorrem após 30 anos.

 

Tratamento:

Tem que ter paciência e persistência!  Tratamento é demorado, com melhora lenta e progressiva e obtenção de bons resultados ao longo do tempo e como é uma doença crônica deve ser tratado para sempre (cronicamente), mesmo quando houver um efeito clareador significativo das manchas, deve-se manter um tratamento de manutenção, pois qualquer exposição solar, mínima que seja, pode levar a reativação das manchas, e os tratamentos para as manchas também levam a melhoria da qualidade da pele como à prevenção de envelhecimento.

Existem diversos clareadores para manchas: dependendo da pele do paciente os ácidos podem irritar e causar processo inflamatório na pele (vermelhão e descamação) e em seguida pigmentar, ou seja, as manchas ficam mais escuras. Alguns levam a “efeito rebote” gerando manchas acastanhadas mais resistentes ao tratamento e outros levam a manchas brancas em formato de confete irreversíveis, portanto use o tratamento dermatológico que foi recomendado para você e retorne no tempo que lhe foi estipulado para mudanças de tratamentos. E muita atenção quanto às estações do ano, é habitual o uso de alguns ácidos no inverno que não se usa no verão, sendo necessário retornar a consulta para fazer essa mudança. Sempre há novidades em relação aos produtos para melasma, o que podem ser bom para um paciente podem não funcionar para outro, e há uma tendência cada vez mais rotineira de novos produtos com efeito clareador promissor e sem levar a irritação, vermelhão e descamação da pele. Isso é muito importante também: a descamação e irritação não representa eficácia do produto, há diversos produtos clareadores muito bons que não causam nenhuma irritação. Atualmente, há vitaminas, como a vitamina C e E,  novos clareadores (antioxidantes) e filtro solares sistêmico (ou seja, de uso via oral) que associados ao tratamento e aos cuidados gerais auxiliam no tratamento do melasma  e otimizam o clareamento das manchas.

-Laser peeling: pode ter resultado variável de acordo com cada paciente, para alguns melhoram , outros ficam iguais, outros melhoram e depois leva a um “efeito rebote” e outros pioram.

-Exposição solar grande vilã: Vivemos num país tropical! Temos irradiação solar o ano todo! Exposição solar, mínima que seja (5 minutos ao sol), desencadeia ou agrava o melasma. Exposição solar em qualquer área corpórea, como pequena área das mãos, braços e pernas estimula melanócitos em todo corpo à distância e onde tem mais melanócitos (melasma) fica mais pigmentado. 

-A luz visível (iluminação comum em ambiente fechado, computador e TVs que emitem a luz visível) também desencadeia e agrava o melasma, assim como calor (emitem ondas infravermelho), como sauna, banho quente, secador de cabelo, fornos, fogão e falar no telefone celular muito tempo, e entrar em carro quente. Portanto, mesmo no dia-a-dia quando estiver em casa e no trabalho, aplicar o filtro solar.

-Filtro solar ou protetor solar: usar fator de proteção solar (FPS) acima de 30, e que tenha proteção contra UVA/UVB, e filtros com cor/base protegem mais. Filtro solar dura em média 3 horas, e começa agir após 20 minutos da aplicação, então aplicar 20 minutos antes da exposição solar, e no dia-a-dia aplicar na face e área expostas ao sol (onde a roupa não cobre) de 3/3 horas. Em exposição solar intensa, quando for a praias, piscinas, rios e praticar esportes ao ar livre ou trabalhar ao ar livre, usar de 2/2horas em toda a área exposta ao sol, e se estiver suando ou se molhar, enxugar a pele e reaplicar o filtro solar quantas vezes a pele estiver molhada. Nessas situações evitar o horário das 9h-14h e ficar sempre embaixo de barraca, guarda-sol e sombras, e usar roupas, bonés e chapéus com filtro solar se possível. Portanto, lembre-se, mesmo protegendo ao máximo a sua face, mas voltar com “marquinha” de biquíni da praia ou da piscina, seu melasma estará mais escuro!

IMPORTANTE: não desanimar nunca! Nunca parar o tratamento, mesmo que sua mancha for muito resistente e tiver poucos resultados positivos, pois todo tratamento que você fez, até hoje, você perde, ou seja, sua mancha volta a escurecer, e o que pode ser pior, surgem novas manchas em outras áreas da face, ou seja, pode acometer toda a face, afinal você tem tendência genética para melasma! O tratamento, mínimo que sejam, acarretam algum benefício, nem que seja a estabilização das manchas.