16/01/2017 16h49 - Atualizado em 25/01/2017 18h29

ORIENTAÇÕES PARA DERMATITE ATÓPICA (DA)

Para o controle dos sintomas da dermatite atópica, além do tratamento medicamentoso, é fundamental que a criança e sua família sigam algumas orientações sobre hábitos diários:

A hidratação consiste em medida básica no tratamento da DA. É fundamental lembrar que o atópico tem a pele ressecada naturalmente e apresenta a barreira cutânea defeituosa e pele sensível a diversos estímulos. E o ressecamento aumenta a predisposição às dermatites. O papel da hidratação no atópico visa a umectação do estrato córneo e a estabilização da função da barreira epidérmica. Os principais fatores agravantes para a xerose (pele seca) no atópico incluem: banhos quentes e prolongados, uso excessivo de sabonetes, banhos em piscina clorada, emolientes inadequados, ar condicionado, poluição aérea, baixa umidade do ar, fricção, medicações (retinóides), estresse, produtos químicos e nutrição (dietas de exclusão). Recomendam-se:

  • Banhos rápidos e mornos ou frios, evitando o uso de sabões com fragrâncias e corantes (Restrinja o contato com água quente e excesso de sabonete, que ressecam a pele. O banho da criança deve ser curto, em torno de 5 minutos por exemplo. Use água morna ou fria e controle o uso do sabonete. Em momentos de crise o uso do sabonete deve ser ainda mais restrito: ensine-a a usar sabonete só nas mãos, pés, áreas íntimas, axilas, e, eventualmente, em outras áreas que tiverem se sujado. No resto da pele, só água.)
  • Se ele for tomar banho de banheira, misture um óleo de banho à água, ou então um punhado de maisena. Depois do banho, com a pele úmida, aplique um hidratante e reaplique ao longo do dia.
  • O uso de emolientes (hidratantes) isentos de fragrâncias, preservativos e álcool é mandatório, pois são fundamentais para a restauração da barreira cutânea. A aplicação dos emolientes deve ser realizada logo após o banho, com a pele ainda úmida. Os principais emolientes classificam-se em emulsões tradicionais e não tradicionais. Dentre as tradicionais, as preparações em água-óleo são muito úteis. Exemplos do primeiro grupo são os ungüentos, que contém vaselina e lanolina. As preparações óleo-água podem também ser utilizadas, mas nem sempre são suficientes para hidratar a pele de forma adequada; são interessantes nos casos de estágios subagudos, onde a quantidade de água presente na formulação pode determinar efeito calmante para a pele.
  • As formulações sem os emulsificantes tradicionais representam novos produtos no mercado, são menos irritantes e melhor toleradas. Um dos exemplos desses componentes é o DMS (derma-membrane structure). O cold cream é outro exemplo de emulsificante não tradicional, que reúne propriedades de um creme hidrofóbico e hidrofílico, e que é amplamente utilizado como emoliente eficaz. Novas substâncias, tais como ceramidas, NMF (natural moisturing factor), vitamina E e outros anti-oxidantes estão sendo incorporados aos emolientes para aumentar sua eficácia.
  • Na DA evita-se o uso de lactato de amônio e de uréia em altas concentrações, pois causam irritação a pele
  • Repare nas roupas e no pijama da criança. Ao invés dos tecidos sintéticos, prefira o algodão. E, como o suor agrava a dermatite, vista-o com roupas folgadas e arejadas que permitam a ventilação da pele. Evite a lã e, se não for possível, vista por baixo uma blusa de algodão. Corte as etiquetas das roupas, elas irritam a pele. Lave as roupas com sabão de pedra neutro ou lava roupa de lojas para alérgicos, enxágue bem e não use amaciante.
  • O quarto da criança também deve adaptar-se à dermatite, pois pó e ácaros pioram a condição de pele. Remova tapetes, carpetes, bichinhos de pelúcia. Prefira persiana a cortina. Passe aspirador diariamente, tire o pó da colcha, do colchão, do travesseiro. Se as crises noturnas continuarem, revista o colchão e o travesseiro com plástico ou capas em lojas de produtos para alérgicos.
  • Lençóis, fronhas e mesmo a colcha devem ser de algodão.
  • As roupas do corpo e de cama devem ser lavadas com sabão em pedra ou lava- roupas que vende em lojas para alérgicos e não se deve usar amaciante.
  • Quanto ao tratamento medicamentoso, feito sob orientação médica, os corticóides em creme são uma boa opção. Além dos corticóides, há os imunomoduladores em creme, que também podem ser usados no tratamento de manutenção. Ou ainda pode-se indicar um anti-histamínico por via oral. Além de diminuir a coceira, o anti-histamínico causa leve sedação, o que ajuda nas crises noturnas. Alguns estudos sugerem que o uso de alguns probióticos estão associados a melhora clínica das crianças.